• Método criado na Inglaterra na década de 1950 pela ativista Ruth Plant e que consiste em identificar uma colônia de gatos de rua e capturar os animais com armadilhas seguras, transportando-os para uma clínica onde serão castrados com técnica minimamente invasiva por médicos veterinários capacitados. Após a esterilização, o agente de CEVD devolve os gatos totalmente recuperados da cirurgia para a colônia.
• Colônia é um ajuntamento de gatos em uma área definida.
• Sabe-se hoje que a expulsão e morte de felinos de colônias não elimina a presença dos bichos na localidade. Outros rapidamente ocupam aquele espaço utilizando as condições deixadas pelo grupo eliminado.
• Isso é chamado “efeito vácuo”.
• Por serem territorialistas os gatos mantidos no local constrangem a chegada de novos gatos. Logo, castrar a colônia quebra o ciclo de repovoamento, evitando o assassinato contínuo de seres vulneráveis, vítimas do progresso descontrolado.
• O método CEVD é ético, definitivo, eficaz e mais barato que as repetitivas e infrutíferas tentativas de expulsão dos animais.
• CEVD é considerado pela American Society for the Prevention of Cruelty to Animals (ASPCA) como o único método realmente não traumático, eficaz e sustentável para a questão.

Como aplicamos

1. Estudo de área
Buscamos entender o que está acontecendo no local. Identificamos a colônia de gatos e conhecemos seus hábitos. Entender a rotina de alimentação é muito importante para o sucesso do trabalho de controle.

2. Captura
Após o estudo inicial e coleta de informações, passamos a capturar os gatos.
Utilizamos armadilhas e técnicas de manuseio totalmente seguras e dentro dos padrões internacionais estabelecidos pelos praticantes de CEVD.

3. Castração
Nossas clínicas conveniadas praticam a castração minimamente invasiva (CMI). Cirurgia de esterilização imprescindível para nossa rotina de trabalho. Essa técnica permite uma recuperação muito mais rápida para os animais. A consequência da recuperação mais rápida é poder devolver o gato para a colônia em um curto espaço de tempo após sua captura.

4. Vacinação contra a raiva.
A raiva é uma doença letal que atinge o sistema nervoso dos mamíferos. O vírus da raiva foi isolado em 1881 por Louis Pasteur e poucos anos depois a vacina salvava vidas pelo planeta. É altamente contagiosa e atinge o ser humano (zoonose). Não está erradicada no Brasil. Todos os gatos que passam pelo nosso processo de CEVD são vacinados contra a raiva.

5. Devolução
O protocolo de CEVD determina a devolução do animal entre 12 e 24 hs, respeitando sempre a condição física do gato. Para devolução o bicho precisa estar 100% acordado e esperto.
A devolução rápida e segura reconecta o animal ao seu meio proporcionando sua readaptação imediata. Isso alivia o trauma e diminui o risco de contaminação e contágio inerentes a ambientes clínicos. Afinal os animais estão saudáveis, e assim devem permanecer após a cirurgia.

 

Compartilhar